Close

As Peregrinações

As Peregrinações no Santuário da Virgem Mártir Santa Eufémia de Penedono

É nos dias 15 e 16 de Setembro que a romaria da virgem mártir santa Eufémia atrai mais devotos ao santuário, vindos dos quatros cantos da diocese de Lamego e das dioceses vizinhas (Guarda e Vila Real). Podemos afirmar que esta é a romaria das gentes do Douro e da Serra, uma vez que o santuário fica muito perto da transição da Beira com o Douro, vêm gentes sobretudo dos concelhos de São João da Pesqueira, Vila Nova de Foz Côa, Mêda, Carrazeda de Ansiães, Alijó (Douro), Sernancelhe, Trancoso, Pinhel, Aguiar da Beira e Moimenta da Beira (Beira).
A grande romaria dos dias 15 e 16 de Setembro é sempre precedida de uma novena na capela do santuário, que se inicia no dia 7 até dia 14 de Setembro, que consta da celebração da eucaristia com sermão, oração das vésperas dos mártires, meditação da via-sacra ou do terço.
O dia 15 começa com a chegada dos feirantes, que se instalam no largo da feira com as suas barracas expondo os mais diversos produtos que vão vender nos 2 dias da romaria.
A meio da tarde começam a chegar dos mais diversos lugares os romeiros, que vão procurando lugar nas barracas de comes e bebes, para saborear a “febras de santa Eufémia”, que comidas nesta noite são as mais saborosas do ano todo.
Ao início da noite é celebrada eucaristia campal com pregação no palco do grande patamar inferior à capela, acompanhada pela banda filarmónica contratada. Esta no final da eucaristia, depois da imagem de santa Eufémia ter recolhido ao santuário, onde os peregrinos fazem a sua romaria em volta do altar da mártir e pagam as suas promessas, dá sempre um grande concerto no mesmo palco, para os milhares de romeiros presentes na esplanada.
Até alguns anos atrás, o concerto da noite era sempre feito com duas bandas, que tocavam até altas horas da noite, sucessivamente numa constante disposta, para verem qual era a que agradava mais aos romeiros.
O resto da noite depois do fogo de artificio, é passado numa constante animação na zona da feira, onde se vai comendo a típica marrã e bebendo o bom vinho da região ao som das concertinas e dos cantares ao desafio.
O dia 16 inicia-se bem cedo, com a chegada dos peregrinos que vêm a pé e com as gentes que vêm pagar as suas promessas e fazer as compras na feira, preparando-se assim para as épocas de trabalho que se aproximam; as vindimas e a apanha da castanha.
No início da manhã celebra-se novamente eucaristia campal com pregação no palco do grande patamar e no final enquanto a banda oferece um concerto aos peregrinos na esplanada, os sacerdotes atendem em confissão os peregrinos na capela e na casa do ermitão.
Depois do almoço, volta a celebrar-se eucaristia campal, sendo esta normalmente presidida pelo bispo da diocese e que termina com a procissão triunfal da milagrosa santa Eufémia em volta do santuário até entrar na capela, acompanhada pela banda filarmónica.
Também todos os anos na segunda-feira de Páscoa e no domingo da Ascensão (antes era quinta-feira a Ascensão), há romaria no santuário, com celebração da eucaristia e procissão.
Nos últimos anos tem-se feito uma peregrinação no 2º domingo do mês de Agosto para os emigrantes, visto que raramente podem estar nos dias 15 e 16 de Setembro e são muito devotos da virgem mártir.
Durante o ano são várias as actividades que se promovem no santuário, desde a meditação da via-sacra durante a quaresma, à celebração de casamentos e baptizados, tal como retiros ou encontros dos mais diversos movimentos ou associações.
Diariamente, podemos encontrar peregrinos no santuário, tanto as gentes de Penedono ou do concelho, ou vindas de todo o país, em grupos ou individualmente, seja para rezarem e pedirem graças e auxílio à virgem mártir, seja para pagarem as suas promessas e agradeceram as graças já recebidas, seja para descansarem e comerem nos parques à sombra das majestosas árvores ou até a levarem para suas casas a límpida e sempre fresca água que jorra nos fontanários do santuário.